Balanço da Campanha Peixamento no Mês de Julho de 2021



Gratidão novamente! Sentimento nobre e sincero a todos os doadores que contribuíram para a entrega de mais 42 cestas básicas no segundo mês da Campanha Peixamento. Fizemos duas entregas: Comunidade da Mirueira e Comunidade da Iputinga. Ficam nossos sinceros agradecimentos a estes doadores anônimos. Ainda temos valor em caixa já direcionados para mais ações em agosto!


Mais detalhes a seguir, na ação maior realizada com os catadores da Iputinga, e pelo o que justicamos maior atenção.

Representação Artística de um Catador de Rua, com materiais recicláveis. Paulo Carneiro – Artesão Pernambucano.

Porque julgamos importante focar as ações do Projeto Peixamento com o Grupo de Catadores de Materiais Recicláveis na Comunidade da Iputinga ?


No contexto atual do nosso país os seres humanos nascidos em lares pobres, sobretudo os afro descendentes, que em muitos casos não possuem acesso as redes de amparo sociais como: moradia digna, escolas, saúde, centros de cultura lazer e esportes, acabam por crescer à margem desta sociedade, e veem tudo que lhes foi negado através das novelas nas telas da TV, quase como se fosse uma miragem. Na letra da música do Grupo Musical Paralamas do Sucesso há um verso que define bem esta dicotomia bastante emblemática, tendo como pano de fundo a Cidade do Rio de Janeiro, pois cita o Cristo Redentor de braços abertos como um cartão postal, que porém se mostra com os punhos fechados na “vida real” e lhes nega oportunidades.


Sem o essencial amparo da família, sem frequentar a escola, sem formação profissional que lhes permita conseguir empregos formais, estes jovens caso consigam sobreviver ao assédio dos aliciadores e da tentação à imersão no mundo do crime, das drogas ou da prostituição, e em alguns casos de ambos, tudo o que lhes poderá restar é o trabalho na coleta e comercialização de materiais recicláveis, como sua única e derradeira via de acesso à sobrevivência no mundo capitalista, e este caminho portanto se tornará a Porta de Entrada ao Mundo da Invisibilidade Social.


São invisíveis a quem passa apressado pelas calçadas das ruas, ou passa por eles dentro dos veículos no trânsito congestionado. São invisíveis aos olhos do guarda de trânsito, do operário cabisbaixo que segue para o trabalho de manhã, ou do comerciante que não segrega o lixo depositado na frente do seu estabelecimento, e em alguns casos os hostilizam para que não afugentem a clientela. São invisíveis aos olhos dos políticos, pois não raramente lhes faltam documentos e o título de eleitor. Passarão a vida inteira vivendo dos restos que sociedade descartou, e muito provavelmente se identificarão com este Lix (do Latim cinzas) como sobras de vidas, tão descartáveis quanto o material que recolhem das nossas ruas.


Diante desta realidade tão dura buscamos dar apoio ao Grupo “União Faz a Força”, formado por 33 Catadores de materiais recicláveis da comunidade da Iputinga – Recife – PE. Este trabalho já existe há quatro anos, buscando fortalecer o grupo com diversas ações em prol da organização profissional para o trabalho coletivo, dando-lhes oportunidades de capacitação e visibilidade para o importante e essencial trabalho que desempenham na preservação do Meio Ambiente.


Foram realizadas visitas à comunidade da Iputinga e do Cajá, e constatadas condições de vida bastante insalubres. Precisamos ajudar estas comunidades!

E no momento de calamidade mundial com a Pandemia da Sars Cov 2, o que já era uma realidade dura se tornou ainda mais desafiador assegurar para garantir a segurança alimentar destas famílias. Neste sentido o trabalho da ONG Educavida assumiu a missão de implementação do Programa Peixamento para atenuar o problema da fome e da miséria. Estamos vivendo, em uma calamidade sanitária, social, educacional e econômica.


Em julho, segundo mês do Programa, as doações de alimentos e produtos de higiene foram todas compradas por um grupo de amigos Auditores da Fazenda da Prefeitura de Recife, que com recursos próprios adquiriram os itens e nós da OSC Educavida distribuímos no dia 09/07/2021, pelo segundo mês consecutivo, 33 sextas-básicas contendo alimentos não perecíveis como mostra a foto. Ao todo foram 277,2 kg, contendo cada uma delas 8,4kg de gêneros de primeira necessidade, e mais 01 litro de água sanitária e 05 tabletes de sabão em barra.

Os Voluntários que participaram da entrega e organização foram Célio, Clara, Eloisa, Vaneide, Sirleide e Cleide.

Como se dará a continuidade deste trabalho?


Continuamos com a campanha de arrecadação. Além da doação de alimentos a OSC Educavida pretende cadastrar junto a estas mesmas famílias grupos de jovens de 14 a 22 anos para se tornarem associados a rede de apoio Educacional, através de um trabalho de Mentoria para lhes permitir acesso a rede solidária de Professores, Profissionais de RH, orientadores, compartilhando os caminhos para seguir adiante na formulação de um Plano de Vida que lhes permita oportunidades de crescimento pessoal e profissional no mundo do trabalho e da plena cidadania.


Seguimos contando com a solidariedade e generosidade da sua doação.

7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo